Consulta il Calendario per restare sempre informato sulle nostre attività

Criado em 1989 em Scilla, na região da Calábria, Itália, caracteriza-se como um grupo de dinâmico trabalho de pesquisa na área teatral e na produção de eventos e seminários na Itália e no exterior. Colabora com a International School of Theatre Anthropology (ISTA) organizando, desde 1995, sessões da Università del Teatro Eurasiano, coordenadas por Eugenio Barba (exponente maior do Teatro Antropológico), e sedimentadas como importante ponto de referência para artistas e estudiosos de teatro de todo o mundo. Estende suas atividades à América do Sul e Austrália, com o objetivo de realizar intercâmbios culturais intensificados com a criação do intergrupo de pesquisa denominado “Linea Trasversale”. Outro pólo de ação do grupo está no campo social, dentro do qual vem criando e impulsionando campanhas de ajuda a necessitados na Europa e na América Latina. 











GIANGURGOLO E O SECRETO DAS MÁSCARAS 


AS MÁSCARAS: UMA EXPERIÊNCIA COM A COMMEDIA DELL’ARTE

MOSTRA-ESPETÁCULO



Desde 1989, o grupo Teatro Proskenion desenvolve uma intensa atividade de teatro, produzindo inúmeros espetáculos e organizando diversas mostras de caráter internacional. Seus temas de pesquisa variam do estudo da história do teatro e do folclore à produções musicais, audiovisuais e mostras multimídia. Ativo no campo social, idealiza e coordena diversos projetos de solidariedade na Itália e no exterior. Em 1995, fundou Linea Trasversale, movimento internacional de pesquisa teatral, com representantes em diversas partes do mundo. Nesse mesmo ano, passa a organizar as sessões da Università del Teatro Eurasiano, sob a coordenação de Eugenio Barba, em colaboração com o ISTA (International School of Theatre Anthropology).

O projeto nasceu em 1999, fruto de uma experiência coletiva de pesquisa entre o Teatro Proskenion e o Departamento de Literatura Comparada daUniversità dell’Aquila. Desde então, tem viajado pela Europa, Brasil e Estados Unidos com apresentações em escolas de teatro, festivais, universidades, museus e academias de Belas Artes.   

O Projeto é composto de uma exposição-espetáculo baseada na improvisação dos atores, e por uma série de oficinas sobre história, antropologia, técnicas de construção, dramaturgia e uso cênico da máscara. 



História de uma experiência sobre a Commedia dell’Arte

A máscara

Fenômeno recorrente nas culturas de todo o mundo, a máscara é, dentre os objetos de artesanato mais antigos que a humanidade conhece, aquele que faz o homem conscientizar-se de sua criatividade. Considerada um documento primordial na história do teatro, por fazer parte deste, desde sua origem, é uma evidente ligação do nascimento da representação organizada no interior do mundo mágico/religioso tanto do mundo ocidental quanto do oriental. De grande conotação simbólica, seu universalismo e atualidade podem ser verificados através das inúmeras obras teatrais produzidas ao longo do século XX, nas quais foi amplamente utilizada.

Elemento fundamental da Commedia dell’Arte e, sem dúvida, a parte do teatro italiano mais conhecida no mundo, a máscara tornou imortais personagens nascidos das tradições populares e que mais tarde vieram a sobreviver em diversas culturas. Os estudos de teatro contemporâneos e suas novas disciplinas, como a Antropologia Teatral, voltaram sua atenção para o ofício secreto (técnica do ator) que está por trás da Commedia dell’Arte e permitiu descobrir a ligação entre os comediantes de 1500 e a experimentação teatral do último século.




A Mostra

Caracteriza-se por uma exposição com cerca de 40 máscaras inspiradas nas tradições populares italianas e na Commedia dell’Arte, contendo dados históricos e técnicos sobre a confecção das mesmas.

As máscaras são apresentadas junto a textos que exemplificam sua criação. Além destas, há as chamadas ‘intermediárias’ que são estudos ou esboços improvisados durante dois anos de trabalho – aqui mostradas a fim de evidenciar o processo criativo. Deste modo, o espetáculo teatral, que ganhou vida por meio das máscaras, transforma-se em espetáculo-argumento, o que nos permite conhecer, de maneira única, o que está ‘em torno’ a uma experiência sobre a Commedia dell’Arte. Três apêndices completam a mostra: além de outras máscaras famosas da Commedia, uma seção sobre a técnica da construção em couro – com  exemplos de máscaras realizadas em diversos materiais – e outra sobre máscaras apotropaicas, vivos arquétipos da tradição meridional.


A abertura da mostra consiste em uma demonstração prática do uso da máscara em cena por parte dos atores e por uma breve explanação histórico-antropológica que introduz os vários aspectos ligados à difusão e ao uso da máscara.


Lista de máscaras da mostra.

Máscara de Polichinelo (couro)

Máscara de Polichinelo Zanni (couro)

Máscara de Ko-omotè em madeira (exemplo de máscara Nô)

Máscara de Ko-omotè em couro (criada a partir de exemplo de máscara Nô)

Máscara de Amina com olhos abertos (couro)

Máscara de Amina com olhos fechados (couro)

Máscara de Jugale com sobrancelhas (couro) – estudo para Giangurgolo

Máscara de Jugale (couro) – estudo para Giangurgolo

Máscara inicial de Giangurgolo (couro)

Máscara definitiva de Giangurgolo (couro)

 Máscara Neutra (couro) – estudo para os músicos

 Máscara Neutra, branca com lágrima (couro) – estudo para os músicos

Máscara de Gato (couro) – para um músico

Máscara de Morte (couro) – para um músico

Máscara de Arlequim (couro), lisa 

Máscara de Arlequim (couro), com bigode

Máscara de Arlequim (couro), texturizada 

Máscara de Médico da Peste (couro), com óculos

Máscara de Médico da Peste (couro)

Máscara de Orco (couro) 

Máscara de Orco (couro), com bigode

Máscara de Gnomo (couro)

Máscara de Elmo (couro) 

Máscara Apotropaica 1 (madeira envernizada)

Máscara Apotropaica 2 (couro), peliça

Máscara Apotropaica 3 (couro), pele de leopardo

Máscara de Falcão (couro)

Máscara de Cíclope (couro)

Máscara de Polifemo (madeira envernizada)

Máscara de Samurai (madeira e couro)

Máscara de Giangurgolo (papel machê)

Máscara de Falcão (argila)


Lista de máscaras de Polichinelo (variações dobre um mesmo tema)

Negra lisa

Negra texturizada

Negra lisa com sobrancelha de pêlos brancos

Branca lisa

Branca texturizada

Branca lisa com bochechas e nariz avermelhados

Verde lisa

Vermelha lisa

Vermelha texturizada

Vermelha lisa com sobrancelhas de pêlo

Marrom lisa

Marrom texturizada

Marrom lisa com sobrancelha de pêlo

Couro texturizado

Negra texturizada com bigode de um único lado

Negra lisa com bigode longo

Vermelha lisa com bigode longo

Couro escuro, texturizado, com sobrancelha de pêlos brancos

Couro escuro, texturizado, com sobrancelha e bigode longos

Marrom lisa com bochechas avermelhadas



Marionetes

Polichinelo (cabeça de marionete Bunraku)

Giuseppe (marionete presa por um bastão)

Maria (marionete de madeira)



FABIO BUTERA

Notas Biográficas


Nasceu em Nicastro, na província de Catanzaro, Itália, em 1961. Após freqüentar várias oficinas artesanais de cerâmica e madeira, aprende os fundamentos de desenho e pintura no ateliê de costura do pai, na cidade de Lamezia Terme. Nas primeiras experiências no campo da pintura, contribuiu para a fundação de movimentos de vanguarda na Calábria, comoInterno 10 e Magazzini Voltaire.

Dedica-se, em seguida, à escultura, em particular à confecçao de máscaras em couro, madeira e pedra. Com este tipo de trabalho, firma-se como artista, tanto em nível nacional quanto internacional, a partir de uma série de exposições e instalações.


Suas máscaras o conduzem a estreitas e férteis colaborações com o mundo do teatro, em particular com o grupo Teatro Proskenion, de Scilla, da qual é membro desde 1998 e do movimento de caráter internacional Linea Trasversale (que possui representantes na Itália, na Escócia, na Dinamarca, em Malta, na Espanha, no Brasil e nos EUA). Suas máscaras figuram nas coleções de Ferdinando Taviani (Roma), Odin Teatret (Holstebro/Dinamarca), Claudio Bozzi (Melbourne/Austrália) e Drama Department da Wesleyan University (Middletown, Connecticut/EUA).


Mostras de escultura

1982  Oltre il metro quadro – coletiva do grupo Interno 10 (Lamezia Terme, Itália)

1985  Ottanta novanta – coletiva (Curinga, Itália)

1985  Expo Arte (Bari, Itália)

1986  Artenova – coletiva (Cosenza, Itália)

1987  Expo Arte (Bari, Itália)

1988  Mostra dentro da programação do simpósio Archeologia del Futuro(Sibari, Itália)

1991  Europäische Horizonte (Berlim, Alemanha)

2000  Le maschere della Commedia dell’Arte – mostra de máscaras e marionetes (Sortino, Itália)

2000  Maschere nude – mostra itinerante nas cidades de Pentadattilo, Caulonia, Palizzi Superiore e Scilla, todas pertencentes à província de Reggio Calabria, Itália.


Mostra individual “Undice Lune

1999  Panacéia-Encontro de Linea Trasversale – Pedro Leopoldo (Minas Gerais, Brasil)

1999  Università del Teatro Eurasiano – Scilla (Calabria, Itália)

1999  Federazione Calabrese del Victoria e Victoria University – Melbourne (Austrália)

2000  Università dell’Aquila – Aquila (Abruzzo, Itália)


Teatro

1987 Charlot – com a Associazione Teatrale Curt Mendoza e direção de Cristopher Chaplin (Lamezia Terme)

1988  I Pagliacci – de Leoncavallo, com o Teatro Rendano (Cosenza); 

         Fili- com a companhia Teatrop, sob a direção de Piero Bonaccurso (tournée pela Calábria)

1998-1999  Macerie – com o Teatro Proskenion: dramaturgia de Maria Ficara e direção de Claudio La Camera

1999  L’Alleato della Madonna ovvero Pulcinella a Pezzi – com o Teatro Proskenion, a partir de um canovaccio da Commedia dell’Arte escrito por Ferdinando Taviani, Mirella Schino e Nicola Savarese, sob a direção de Claudio La Camera.


Seminários

1994  Gioventù per L’Europa – projeto de intercâmbio cultural entre Itália, Alemanha, Irlanda, Grécia, República Tcheca (Annberg, na Alemanha, e Lamezia Terme, na Itália)

1995   Workshop com a companhia de teatro de marionetes Divaldo Most (Most, República Tcheca)

1998  Ethos e Sobrevivência: Rumo a Ayacucho – projeto de Linea Trasversale (Brasil, Bolívia, Peru)

1999  Teatro per la solidarietà,  Panacéia e Encontro de Linea Trasversale– Fortaleza, Pedro Leopoldo, Belo Horizonte (Brasil)



Palestras e oficinas “Dramaturgia e técnica da máscara”

1999 Teatro Universitário da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte (Minas Gerais, Brasil); Università del Teatro Eurasiano – Scilla (Calábria, Itália); VCA Victoria University (Melbourne, Austrália); Scottish Mask and Puppet Centre (Glasgow, Escócia); Pan Highlands Project (Inverness, Escócia)

2000 A Monster Hunt – Encontro internacional de teatro organizado por Linea Trasversale e Actors in Transit (Glasgow, Escócia); 32º Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais – Diamantina (Minas Gerais, Brasil); A day with Pulcinella, no Stella Adler Conservatory for Acting (New York, EUA); Università dell’Aquila (Abruzzo, Itália).



Filme e vídeos

1989  Fili – filme em BW 16mm, 30 min.: direção, adaptação e montagem. Argumento de Piero Bonaccurso.

1994  C’era una volta – curta-metragem a cores, Hi8mm, 3 min.: direção e montagem. 

1995  Gioventù e disagio – curta-metragem a cores, Hi8mm, 20 min.: direção e montagem. 

1996  Maschere in un liceo – curta-metragem a cores, Hi8mm, 20 min.: argumento, direção e montagem.

1997  La tempesta – curta-metragem a cores, SVHS, 10 min.: co-direção (com Claudio La Camera) e montagem. Argumento de Maria Ficara.